O INÍCIO E O FIM  

Ainda no âmbito da temática “Objetos e dos seus trajetos: Do Paleolítico aos nossos dias”, um trabalho em parceria com o Museu Nacional de Arqueologia (MNA), a Turma C do 5.ºano concluiu o projeto denominado: «O INÍCIO E O FIM»,  no qual as crianças “imaginaram” como era a vida na terra no período do Paleolítico, em comparação com os dias de hoje. 
E como imaginaram e como o concretizaram? 
Foi um processo moroso e trabalhoso. Afinal, tiveram de unir saberes de várias disciplinas: História, Ciências Naturais e Artes Visuais.
Como eram os animais e a natureza? Como eram os homens do Paleolítico? Como se alimentavam? Que instrumentos utilizavam? 
Já sabíamos algumas respostas a estas perguntas, pois o Mário e a Maria José do Museu Nacional de Arqueologia (MNA), como carinhosamente os chamamos, já nos tinham elucidado através dos objetos que nos mostraram quando estiveram connosco. O problema era andar para trás no tempo…
Decidimos viajar com um pé no tempo de agora, via Internet, e integrando os conceitos de organismo, população, comunidade, ecossistema, entre outros. Recolhemos imagens para desenhar uma linha de seres, numa espécie de tabuleiro de um jogo que espelha, numa composição, uma mancha de cor dada pela mistura das nossas imagens.
E a dúvida de como andar para trás no tempo continuava. Mas, de dúvida em dúvida, conseguimos esboçar as ideias que íamos imaginando de como era a vida na terra naqueles idos anos.
Esboçar ideias é como fazer uma viagem, precisa de muitos preparativos. E assim andámos nós: esboço para aqui, esboço para lá… As nossas ideias foram ganhando forma, através de desenhos, desta vez num traçado a preto e branco, por entre uma espécie de construções suspensas pelos fios que nos fizeram viajar no tempo «NO INÍCIO E NO FIM». 
 Querem saber mais sobre este trabalho? 
Quando voltarmos à escola, filmamos uma reportagem sobre a exposição que designámos: «NO INÍCIO E NO FIM», patente no átrio da secretaria da nossa escola e contaremos tudo sobre este laborioso trabalho que fizemos acompanhados das professoras Lucília Carneiro e Elisa Marques.  
Foto de António Limpo