O Lugar às Ideias, por Francisca Delgado ( novembro 2020)

A importância do Cinema para o público infantojuvenil 
Por Francisca Delgado*
 
Afinal, que lugar ocupa o cinema na vida das crianças e dos jovens? – o cinema tem um papel fundamental na educação e é uma manifestação artística essencial ao desenvolvimento pedagógico, artístico, cultural e pessoal. Tentarmos perceber o que significa a experiência cinematográfica para este público de idades tão distintas e de que maneira os festivais de cinema reagem a estas questões, mas também de que maneira reagem os espetadores a uma linguagem cinematográfica mais independente, fora dos circuitos comerciais e à qual não estão habituados. O cinema abrange grande parte das formas de expressão, o que lhe permite chegar a espetadores muito distintos. No seguimento da visualização atenta de um filme, surge a discussão de vários temas pertinentes: a utilização do filme como material de trabalho pode efetivamente ser um aspeto positivo para os alunos, não só pelas dimensões cívicas e humanas, mas também para proporcionar um melhor entendimento de determinadas temáticas. O cinema convive também com uma questão muito relevante: a estética associada às imagens e a expressividade gerada por todos os aspetos que estruturam e compõem um filme. A «educação do olhar» promovida pelo cinema surge com o intuito de interpretar de forma crítica ideias que as imagens nos sugerem. 
Neste sentido, é importante conjugar e desenvolver iniciativas no âmbito do cinema, articulando os contextos escolares e não escolar, como é o caso da iniciativa que está a ser realizada entre o IndieJúnior e o Agrupamento de Escolas Almeida Garrett,  sendo de especial  importância os  festivais e secções específicas dedicadas ao cinema infantojuvenil que em Portugal são promovidos. Esta relevância situa-se não só pela criação/produção nacional de filmes para esses públicos, também pelo desenvolvimento da dimensão educativa que, muitas vezes, é desvalorizada. Além de existirem como tentativa de colmatar uma “falha” na oferta, dedicam-se precisamente a esse desenvolvimento, pela preocupação que atribuem ao contexto das escolas e pela forma simples, mas imediata, como criam um ambiente de cumplicidade entre famílias. É através do gosto pelo cinema e da vontade de transmitir esse gosto a outros que a programação se expande a todos os níveis, permitindo, por vezes de forma subtil, crescer através da possível relação que se pode estabelecer com os filmes. O objetivo comum é a criação e estimulação de novos hábitos de «consumo» de cinema, desde a infância. Estes hábitos de fruição do cinema e da cultura, em geral, e a promoção de conversas sobre essas experiências permitem estimular o desenvolvimento do sentido crítico e da capacidade de discussão e reflexão sobre os filmes. O debate fomenta a abertura de novos horizontes e diferentes possibilidades de leitura, consoante o entendimento de quem neles participa. As vantagens educativas de integração, não só das várias expressões artísticas como especificamente do cinema, representam seguramente uma mais-valia nos diferentes territórios educativos.
____________

*Francisca Delgado, 23 anos.
Ex-aluna da EB 2 / 3 Almeida Garrett (2007-2012).
Licenciada em Estudos Artísticos, variante de Artes do Espetáculo pela Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa. (2015-2019) | Estágio Curricular no IndieLisboa – Festival Internacional de Cinema como Assistente de Produção na secção IndieJúnior (2019). 
Curso de Especialização Profissional em Produção de Eventos e Espetáculos pela World Academy (2019-2020) | Estágio Curricular no IndieLisboa – Festival Internacional de Cinema como Assistente de Produção.

Atualmente, responsável pela Produção IndieJúnior (2021).